Arquivo para postura

Veja!

Posted in Reflexão with tags , , , , , on 2 de dezembro de 2010 by Pablo Teixeira

Naquele dia, aquele homem estava caminhando quando tudo aconteceu.

Do alto de toda sua elegância, tramando contra os que pareciam errados, indo fazer o que apenas lhe fôra outrora ensinado, caminhando naquela velha estradinha de terra, onde passavam-se cavaleiros ao lado de seus cavalos, foi alí, logo alí, que ele viu a luz.

A própria Luz foi ao encontro do homem e ela já tinha todos os planos para aquele homem. Planos maiores, muito maiores.

E a luz era forte. Forte ao ponte de fazê-lo cair da posição de autoridade e glória que o fazia dominar sobre os mais simples e sinceros de coração. E daquela mesma forte luz que o cercava, tão simples e definitiva pergunta ecoou:

Ei, VOCÊ, por que está me perseguindo?

Com a estranha sensação de baixeza e agora também cego, a única alternativa encontrada pelo homem foi aceitar o Senhorio da luz. Quem é o Senhor? – disse o homem, tentando buscar uma explicação lógica e racional para o fato. Seus seguidores, nada puderam fazer. Já que também ouviram a voz, mas não acharam o dono da mesma.

Enfim a voz o respondeu, e disse com simples e poderosas palavras quem era de fato o Senhor que o homem buscava encontrar naquele misto de voz e luz. A voz também disse ao homem o que fazer e para onde ir. E daquele dia em diante, a vida do homem mudaria para sempre.

Antes pó, hoje não mais só. O homem ouviu a voz e pôde ver a luz. O que ele fez foi entregar-lhe o coração e sentir amor. Viver por amor ao nome da voz que o havia chamado. Dizendo a todos os que passavam em seu caminho: Sigam-me, sigam-me os bons! Porque eu tenho tentado fazer a vontade daquele que me chamou. E esse é mui maior que eu em glória, sabedoria, força e honras. Meus erros estão diante de mim, porém a minha vontade de acertar me dá créditos pra dizer o que digo. Sigam-me assim como eu sigo aquele que um dia me chamou.

Pablo Teixeira

 

Anúncios

Até quando?

Posted in Reflexão with tags , , , , , , , , , , , on 27 de outubro de 2010 by Pablo Teixeira

Não adianta olhar pro céu com muita fé e pouca luta
Levanta aí, que você tem muito protesto pra fazer e muita greve
Você pode e você deve, pode crer
Não adianta olhar pro chão, virar a cara pra não ver
Se liga aí que te botaram numa cruz, e só porque Jesus sofreu,  não quer dizer que você tenha que sofrer

Até quando você vai ficar usando rédea, rindo da própria tragédia?
Até quando você vai ficar usando rédea, pobre, rico ou classe média?
Até quando você vai levar cascudo mudo?
Muda, muda essa postura
Até quando você vai ficando mudo?
Muda que o medo é um modo de fazer censura

Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?

Você tenta ser feliz, não vê que é deprimente
Seu filho sem escola, seu velho tá sem dente
Você tenta ser contente, não vê que é revoltante
Você tá sem emprego e sua filha tá gestante
Você se faz de surdo, não vê que é absurdo
Você que é inocente foi preso em flagrante
É tudo flagrante

A polícia matou o estudante
Falou que era bandido, chamou de traficante
A justiça prendeu o “pé-rapado”
Soltou o deputado e absolveu os PM’s de Vigário

A polícia só existe pra manter você na lei
Lei do silêncio, lei do mais fraco:
Ou aceita ser um saco de pancada ou vai pro saco

A programação existe pra manter você na frente
Na frente da TV, que é pra te entreter
Que é pra você não ver que o programado é você

Acordo, não tenho trabalho. Procuro trabalho. Quero trabalhar
O cara me pede diploma. Não tenho diploma. Não pude estudar
E querem que eu seja educado, que eu ande arrumado, que eu saiba falar
Aquilo que o mundo me pede não é o que o mundo me dá

Consigo emprego. Começo o emprego. Me mato de tanto ralar
Acordo bem cedo, não tenho sossego nem tempo pra raciocinar
Não peço arrego mas na hora que chego só fico no mesmo lugar
Brinquedo que o filho me pede num tenho dinheiro pra dar

Escola, esmola
Favela, cadeia
Sem terra, enterra
Sem renda, se renda. Não, não

Muda. Que quando a gente muda o mundo muda com a gente
A gente muda o mundo na mudança da mente
E quando a mente muda a gente anda pra frente
E quando a gente manda ninguém manda na gente

Na mudança de atitude não há mal que não se mude, nem doença sem cura
Na mudança de postura a gente fica mais seguro
Na mudança do presente a gente molda o futuro

Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ser saco de pancada?

Até quando?Gabriel, o Pensador

%d blogueiros gostam disto: