Arquivo de julho, 2011

Quando as coisas acontecem, o Amor vai pra onde?

Posted in Reflexão on 25 de julho de 2011 by Pablo Teixeira

Como entender a mente de Deus, diante de tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo?

É preciso que haja um propósito imenso pra todas as coisas debaixo do Sol. E Deus, escuta aqui, eu preciso muito saber qual é. Conviver com essa angústia, com esse misto tão desconfortável de sentimentos à flor da pele, não me parece muito justo.

É claro que reconheço por todos os ângulos e formas possíveis que o Senhor sabe mesmo o que faz, mas nesse momento, tudo me parece vago.
Por que me proporcionar alguns momentos tãos raros, de alegria intensa, e minutos depois, dilacerar a minh’alma com uma notícia tão apavorante, de uma perda tão estúpida?

Eu sei que as coisas não acontecem à toa, e é até mesmo falta de respeito da minha parte querer questionar essas coisas. Também sei que essa perda não vem de hoje, mas sim de um longo, pesado e triste pedaço de história, que envolve uma série de questões humanas.

Mas é que dói. E eu espero que Senhor me perdoe por isso.

Ele estava lá. Eu podia vê-lo. Podia escutá-lo. Podia alertá-lo. E isso o fiz por algumas vezes. Mas não foram vezes suficientes, e agora… não posso mais.
Por que a mente humana não consegue pensar nisso antes de vir o “ah se eu…”?
Por que desistimos de tão somente falar do Amor, aos que precisam ser amados?
Por que razão, Deus, só consigo achar as palavras agora que não posso mais falar nada?

Não me venha com aquela história do “ah, não pode ser ‘por quê’, tem que ser ‘pra quê’.
Esse seu “pra quê” não existe. Esse seu “pra quê” traz como base uma noção de que as coisas só acontecem pra podermos concertar outras coisas que deixamos de fazer.

Balela. O que foi feito, foi feito. Não me venha remediar os atos passados com uma promessa de final feliz pra daqui a pouco. A tristeza é real. Tão real quanto a evolução (pra morte) da Humanidade.

Eu preciso de um “porque”. Talvez não aqui, já que eu não sou daqui, mas um dia, Deus, por favor me explique o porque das coisas. Eu preciso saber do real “porque” da minha existência, quanto ser humano.

Hoje eu ganhei. Hoje eu perdi. E agora, o que vem pela frente?

Não quero consolo. Não quero abrigo. Não quero choro em vão.
Quero um “porque”, Deus.
Por favor, se for pra ficar louco, que seja entendendo o “porque”.

Grato,

%d blogueiros gostam disto: